Exposição 100 anos da Rádio

Caros amigos

O Museu Faraday associa-se ao dia do IST com a exposição “100 anos da Rádio” e é com prazer que o convidamos a passar pelo Museu a partir das 15 h do dia 23 de Maio.

 

Na exposição pode contactar com:

  • Os primeiros rádios com detetores de galena, e outros com válvulas alimentados a baterias e com várias arquiteturas: regenerativo, superheterodino, neutrodino, duplex, etc.
  • Rádios domésticos a válvulas representativos dos anos 30 até aos nossos dias
  • Vários rádios profissionais indo desde o Freed Eisenman de 1924, o Racal 1772 de 1977 até ao Yaesu VR5000 de 2001
  • Os primeiros rádios em circuito integrado sendo alguns transistorizados

Pode ver aqui um rádio de 1926  recentemente restaurado  http://www.amrad.pt/radio-em-circuito-integrado/

  • Alguns exemplos de autorrádios desde o Atwater Kent de 1932 com fonte comutada e comando na coluna da direção até aos mais recentes.
  • Rádios usados para comunicações marítimas desde o SFR protótipo do IST, recentemente restaurado e que usa as raríssimas válvulas TM “Tube Militaire” desenvolvidas pelos franceses de 1914 a 1920 na 1ª guerra mundial, passando pelo radiogoniómetro Aqua-Guide de 1970 até ao Rádio Fax Nagra de 1982
  • Rádios de alta Fidelidade desenvolvidos por Peter Walker (Quad) em 1950 e os rádios Revox dos anos 60 e 80
  • Pode ver, pela 1ª vez em público, informação sobre os sistemas de rádio do ISTnanosat-one que, talvez não saiba, foram desenvolvidos no DEEC e já passaram os testes da “Critical Design Review” da ESA, rumo ao lançamento do 1º satélite desenvolvido e fabricado em Portugal, com lançamento a partir da ISS em 2019. Talvez não saiba mas foi em 2005 que o DEEC começou a interessar-se pelo desenvolvimento de nano satélites, com a construção da estação de rastreio CS5CEP no IST Taguspark e que teve apoio incondicional do então presidente do DEEC Prof Afonso Barbosa.
  • Poderá ver alguns trabalhos desenvolvidos por radioamadores portugueses com emissores de rádio, de Tv digital e de DMR
  • Poderá ver alguns exemplos de desenvolvimento de “Software Defined Radio” e demonstrações, incluindo uma estação emissora recetora de SDR a ser operada por um rádio amador especialista, para todo o mundo, em fonia e em Morse.

 

A exposição conta com a preciosa ajuda da AMRAD http://www.amrad.pt/

e da LARS http://www.qsl.net/lars/.

Pensamos que não vai perder o seu tempo se der uma vista de olhos na exposição.

 

Cumprimentos

Da equipa de voluntários e colaboradores do Museu Faraday

 

Moisés Piedade

 

Publicado em AMRAD

AMRAD e a escola de Óbidos

Depois do sucesso da visita da escola de Óbidos à estação CS5CEP, organizada pelo colega António Matias, Ct1FFU, a AMRAD colaborou numa atividade realizada na escola de Óbidos, no dia 24 de Abril, com a atividade “Caça à Raposa”. O Mestre CT1DNJ, Rui Caldeira, foi o instrutor especializado mas foi acompanhado pelos colegas Jorge Amarante, Victor Silvestre, João Caria, Arménio Ferreira e Carlos Gorjão.

Foi um dia de grande sucesso pelo que a atividade vai repetir-se em Junho próximo.

Publicado em AMRAD, Eventos, Radioamadorismo

Rádio em circuito integrado

Foi em 1926 que a empresa alemã Loewe desenvolveu um circuito integrado para fazer um rádio desmodulador de amplitude modulada (AM). O circuito foi designado por  3NF e o rádio por OE333.

Só 42 anos depois voltou a ser fabricado, pela empresa inglesa Ferranti, um circuito integrado para realizar as funções completas de um rádio AM.

Veja aqui a história destes circuitos e do rádio Loewe.

Publicado em AMRAD, Experiências, História da Rádio, Rádio Técnica

AMRAD Neutrodyne

O colega CT2ZO, Moisés Piedade, é o restaurador e feliz proprietário de um dos primeiros rádios comerciais a usar a técnica de neutralização patenteada por Hazeltyne em 1922.

O rádio AMRAD Neutrodyne, de 1923, é um rádio do tipo TRF “Tuned Radio Frequency”, a arquitetura dominante dos primeiros rádios.

Basicamente nos rádios TRF a sintonia é feita na frequência da estação a receber em dois ou 3 andares de Radio Frequência,RF, a que se segue um detetor de rádio e, depois, os amplificadores de audiofrequência. Para ter uma boa seletividade das estações usavam-se transformadores de RF com elevado fator de qualidade o que obrigava a usar bobinas grandes com núcleos de ar. As bobinas grandes tornam difícil evitar o acoplamento entre os diferentes estágios de amplificação de RF, dificuldade acrescida pelo facto de todos os andares trabalharem na mesma frequência – a da estação emissora.

O transformador de RF também é elevador de tensão entre o primário e o secundário de cerca de cinco a oito vezes o que, associado ao pequeno ganho máximo de cinco das válvulas da época, conduzia a um ganho de tensão de 25, por andar de amplificação. Com cinco andares de amplificação o ganho de tensão seria de cerca de 10 milhões. Um sinal de 1 microvolt na antena poderia originar um sinal de 10 V no altifalante ou nos auscultadores.

Frequentemente, este tipo de rádios, entrava em oscilação devido ao acoplamento do sinal de RF de saída com o andar de entrada. Em 1922, Harold Wheller, que trabalhava nos laboratórios de Hazeltine resolveu o problema com a introdução de circuitos de neutralização que proporcionavam uma pequena retroação “ feedback” da saída para a entrada do andar de RF, em oposição com o “feedback” natural da montagem e da capacidade grelha placa das válvulas.

Esta técnica foi usada durante muitos anos, em particular nos primeiros rádios transistorizados.

Publicado em AMRAD, História da Rádio

As marcas AMRAD  e AMSAT-CT

A AMRAD – Associação de Amadores de Rádio registou as marcas AMRAD  e AMSAT-CT no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, depois de passar pelo escrutínio internacional de direitos empresariais.

Todavia, existe a empresa AMRAD Corporation, Medford, Hillside, MA, USA, que foi fundada em 1915 e produziu equipamento de rádio até 1928, de forma autónoma e, depois, para outros fabricantes como a Crosley, etc. com contratos de “franchising”. Atualmente esta empresa fabrica essencialmente condensadores eletrolíticos mas, provavelmente, nunca registou a marca.

Em 1933 foi fundada a AMRAD – Rádio Laboratorie de Budapest que produziu equipamentos de rádio entre 1933 e 1940, ano em que fechou.

Recentemente a AMRAD rejeitou a ideia de uma empresa chinesa que pretendia usar a sigla AMRAD.

Publicado em AMRAD, AMSAT

Jornal da AMRAD há 5 anos

Fez 5 anos que  a AMRAD editou  e publicou um conjunto de jornais que descreveram trabalhos de asociados e convidados.

Para os interessados em revisitar estas contribuições junta-se aqui um índice que talvez possa  ajudar.

Jornais e Artigos Publicados

O Espaço na Escola por Mariano Gonçalves

Jornal N.º01 (Junho de 2012)

A Rádio Passo a Passo (Parte I) – Moisés Piedade

Antenas de Loop Magnético – Fernando Pimenta

Radiocomunicações Táticas acima do LOS -Mariano Gonçalves

Rádio de Banda Ultra Larga (UWB) – Jorge Fernandes

A Simbiose da Electrónica com a Agricultura – Luís Miguel, Diogo Sentieiro

Jornal N.º02 (Setembro de 2012)

Rádio Astronomia – Carlos Gorjão

Rádio Definido for Software – Luís Ferreira

Medidor de Impedâncias em RF – Luís Lopes

A Rádio Passo a Passo (Parte II) – Moisés Piedade

Projeto Balua – Diogo Henriques 

Jornal N.º03 (Dezembro de 2012)

Análise Biomolecular Baseada em Campos Magnéticos – José Germano

Receptores de Rádio com Frequência Intermédia Baixa – Luís Oliveira

Radiometria – Luís Cupido

Do Transcetor de Rádio à Máquina de Ressonância Magnética – José Mariano

Amplificadores de Potência em RF com Válvulas Electrónicas – Carlos Ladeiras 

Jornal N.º04 (Março de 2013)

Destaque: Circuitos paramétricos

Uma pequena excursão aos tempos da rádio artesanal – Dinis Santos

Redes de sensores – José Catela

Antenas Dielétricas para Ondas Milimétricas – Carlos Fernandes et al.

NDT aánalise com técnicas de SDR – Luís Rosado

SOTA on Air – Nuno Fróis

Instrumento ideal para Radioamador – Carlos Gorjão 

Jornal N.º05 (Junho de 2013)

Destaque: Antenas Invisíveis; Atividade e Passividade

Radioamador com Antenas Invisíveis- Fernando Roque

Amplificação Paramétrica em Circuitos de Rádio Integrados em tecnologia CMOS – João Oliveira, João Gois

Jornal N.º06 (Setembro de 2013)

Destaque: Museu das Transmissões Militares, Programas Pedagógicos para Jovens

Introdução das Radiocomunicações em Portugal – Pedro Santos

AVE, CASAR e AMRADIO – Programas Pedagógicos para Jovens – César Gaspar

Jornal Nº 07 (Dezembro de 2013)

Destaque: VLF , Recetor GPS/Galileo;GLONASS

VLF , o Que é e o Que Posso Receber – Fernando Roque

Receptor GPS/Galileo/GLONASS com Tecnologia SDR – Pedro Ferreira, Gonçalo Tavares 

Publicado em AMRAD, Rádio Técnica, Sócios